Archive for the ‘esportes’ Category

h1

Maracanã, 1950. Interlagos 2008

novembro 2, 2008

A final da copa de 50 no Maracanã, aquele 2×1 a favor dos uruguaios contra o Brasil, é conhecido como uma das maiores decepções do esporte brasileiro. Taça praticamente na mão, jogo acabando, torcida enlouquecida com o primeiro mundial da seleção canarinho, e um gol silencia 200 mil pessoas, que ficam com caras atordoadas, como se não acreditassem no que vissem. Esse dia ficou conhecido como “Maracanaço”.

Pois hoje vivenciei o que podemos chamar de “Interlagaço”.

Estava lá, junto com vários amigos, desde a meia noite do sábado. Passar a noite na fila, comendo e dormindo por lá mesmo, para garantir um lugar bom na arquibancada, tomando sol e chuva na cabeça até as 16h40, hora do final da corrida. Em suma, pra quem gosta é uma diversão só. E nem precisa dizer o programa de indio que é para todas as outras pessoas.

Mas a real é que a maioria que estava lá sabia que um título brazuca era improvável. Felipe Massa ganhar, beleza, mas Lewis Hamilton terminar em 6°? Só se caísse uma bomba nele mesmo. Ninguem tava com muita expectativa, embora a torcida pelo improvável estivesse sempre presente.

Mas da forma como foi…. foi uma puta sacanagem.

Largada, tudo normal, Massa na ponta, Hamilton com toda a cautela do mundo, dando jeito de que dessa vez aprendeu. Depois das disputas iniciais a corrida fica morna, a arquibancada já acompanha sentada, conformada que não deu, apesar da vitória que se desenhava. Tudo bem, Ferrari fez das suas cagadas, titulo é do negão mesmo, e bora vê. Ano que vem estamos aí de novo.

Daí que perto do fim um amigo aponta o dedo no horizonte e respondo com um olhar de quem entendeu o recado: Vem chuva por aí. E a biruta apontada na nossa direção confirma que aquele vento todo tava trazendo as nuvens mesmo.

Daí vem a sequência de emoções improváveis.

A chuva vem mesmo. O rádio me diz que Massa entrou no box. Merda. Voltou em primeiro. CARALEO!! Hamilton também foi pro box. PUTAQUEPARIU!! Voltou em quinto. MERDA!.

Era só o começo do doce na boca da criança…

Vettel, estreante sensação, vai alcançando Hamilton. E passa sem dar notícia.

Arquibancada não acredita. O improvável acontecendo ali, diante dos nossos olhos! O resultado necessário para empatar o campeonato e Massa levar nos critérios de desempate.

Não sou de ir em estádios, mas posso garantir que foi a explosão de um gol.

Hamilton não alcança Vettel. Torcida já começa a gritar, se abraçar, xingar, torcer, rezar.

Última volta. Massa ganha a corrida. Agora só resta confirmar o 6° de Hamilton.

Vettel não da mole. Faz a junção e dispara na frente no começo da subida dos boxes.

Era a confirmação que faltava pra soltar o grito de campeão. Ver um brasileiro sendo campeão mundial em casa, ainda mais numa situação improvável, não tem preço… mas não foi dessa vez.

Aquele mesmo silêncio do Maracanaço tomou conta do autodromo quando ouvimos no rádio que Timo Glock tinha ficado pelo caminho, Hamilton era 5°, Hamilton era campeão mundial.

Situação que era esperada por todo mundo, mas que tendo acontecido depois que o grito de campeão já tinha sido desentalado da garganta…

Foi foda.

Anúncios
h1

AM-PM…

setembro 28, 2008

Taí uma das coisas de americano que eu mais detesto na vida.

Passo o ano inteiro acompanhando o campeonato de formula 1, mesmo em condições adversas (acordar 9h da manhã no domingo sempre é uma condição adversa).

Pois chegamos no final do campeonato, faltando 4 etapas, diferença de 1 ponto entre o Massa e o Hamilton, circuito novo, de rua, primeira corrida noturna da F1, expectativa de prova bagunçada (por conta de acidentes e safety car) e…..

…e eu não vejo porque o despertador estava programado para as 8h50. Só que PM.

h1

Novo “Never-Seller”

agosto 21, 2008

Depois dos fracassos olimpicos do “Brasil do Pan”, novo livro para encalhar junto com o “Formando Equipes Vencedoras”, escrito pelo Parreira e lançado logo antes da copa do mundo de 2006:

Livro Diego Hypolito

Livro Diego Hypolito

Com os infaliveis conselhos escritos pelo Diego Hypolito logo antes de esconder a vara da Fabiana Murrer e cair sentado na final do solo.

h1

Na onda do Cielo

agosto 18, 2008

Pra que fui falar de olimpiada logo antes.

Deu que vou ter que repetir o assunto. É que o “globanismo” encheu muito a paciência com o ouro do Cielo. Acho que vi tanto a imagem do cara chorando que somando todas as lágrimas daria pra encher mais uma piscina.

Agora me fala: Quem era esse tal de Cielo 1 mês atrás?
Da mesma foram que o Thiago Pereira era um zé ninguém 1 mês antes do Pan (cujo nível de competição nem se compara com uma olimpiada) e voltou pra casa também como um zé ninguém depois de Pequim, porque caiu na real e o ufanismo oba oba não colou mais.

A moral de toda essa encheção de saco é:
Aí a natação ganha medalha, o judô ganha medalha, e é ouro do Brasil!! é bronze do Brasil!!

Sinceramente, o Brasil não merece. Os atletas sim, merecem, pois são quase super heróis de se classificarem para olimpiadas com tão poucos recursos, sem patrocinios decentes, sem condições de treino decentes. Mas quando o ouro vira “do Brasil”, me sinto roubado por eles. Como assim, não me dá nada e agora quer colher os frutos do meu esforço assim, de graça?

Vamos aos números, eles sempre ajudam a evidenciar algo:
A Alemanha é a quinta colocada, com 22 medalhas no total, sendo 9 de ouro.
A Alemanha tem 83 milhões de habitantes e área de 357.050 km²

O Brasil é o 36°, com 4 medalhas, sendo um ouro e três bronzes.
O Brasil tem 186 milhões de habitantes e área de 8.514.876,599 km²

Técnicamente é impossível que no meio desse mundão todo não tenha gente boa capaz de, com investimento e estrutura adequada (vide Ginástica Artística), disputar de igual pra igual (ou quase, pelo menos) com a elite mundial.

Mas esporte, no Brasil, é só futebol ou uma ou outra coisa que dá Ibope. E a Globo, do Brasil do Pan, das meninas da ginástica, se contenta em fazer a gente de palhaço tentando nos fazer acreditar que “agora vai!!”

Certo fez o Cielo, que tacou um dane-se pro Jornal Nacional e ficou aproveitando seu merecido descanso na Vila Olimpica.